Doença Sexualmente Transmissível – URO SP

Saúde

Doença Sexualmente Transmissível

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são doenças adquiridas através de contato sexual. Podem ser causadas por mais de 30 agentes etiológicos (vírus, bactérias, fungos e protozoários) e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 1 milhão de pessoas adquirem DST diariamente. Algumas DST não manifestam sintomas e os sinais podem variar conforme o tipo de doença.

Imagem Doença Sexualmente Transmissível

As DST mais comuns são:

  • AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida);
  • Sífilis;
  • Cancro mole;
  • HPV (Condiloma acuminado);
  • Donovanose;
  • Uretrites (Gonorreia e infecção por Clamídia);
  • Hepatites virais;
  • Herpes Simples;
  • Linfogranuloma Venéreo.
 

AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)

É uma doença do sistema imunológico resultante da infecção pelo vírus HIV.

Durante a infecção inicial, uma pessoa pode passar por um breve período doente, com sintomas semelhantes aos da gripe. À medida que a doença progride, ela interfere mais e mais no sistema imunológico, tornando a pessoa muito mais propensa a ter outros tipos de doenças oportunistas, que geralmente não afetam as pessoas com um sistema imunológico saudável.

 

Sífilis

É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum.

Os primeiros sintomas da doença são pequenas feridas nos órgãos genitais, que surgem entre a 7 e 20 dias após o sexo desprotegido com alguém infectado. A ferida não dói, não coça, não arde e não apresenta pus. Mesmo sem tratamento, essas feridas podem desaparecer sem deixar cicatriz. Mas a pessoa continua doente e pode progredir para a sífilis secundária e terciária.

 

Cancro mole

Infecção causada pela bactéria Haemophilus ducrey.

Os primeiros sintomas (dor de cabeça, febre e fraqueza) aparecem de 2 a 15 dias após o contágio. Depois, surgem pequenas e dolorosas feridas com pus nos órgãos genitais.

 

HPV (Condiloma acuminado)

O condiloma acuminado, conhecido também como verruga genital, crista de galo, figueira ou cavalo de crista, é uma DST causada pelo Papilomavírus humano (HPV).

Atualmente, existem mais de 100 tipos de HPV - alguns deles podendo causar câncer, principalmente no colo do útero e no ânus.

A vacinação pode proteger o paciente contra os principais subtipos do vírus causadores de lesões genitais e câncer.

 

Donovanose

É uma infecção causada pela bactéria Klebsiella granulomatis, que afeta a pele e mucosas das regiões da genitália, da virilha e do ânus. Causa úlceras na pele infectada.

 

Uretrites (Gonorreia e infecção por Clamídia)

Clamídia e gonorreia são infecções causadas por bactérias que podem atingir os órgãos genitais masculinos e femininos. Pacientes infectados apresentam secreção uretral. Quando não tratadas, essas doenças podem causar infertilidade, dor durante as relações sexuais, gravidez nas trompas, entre outros danos à saúde.

 

Herpes Simples

Essa doença é caracterizada pelo surgimento de pequenas bolhas na região genital, que se rompem formando feridas. Antes do surgimento das bolhas, pode haver sintomas como formigamento, ardor e coceira no local, além de febre e mal-estar. As bolhas se localizam principalmente na parte externa da vagina e na ponta do pênis. Após algum tempo, porém, o herpes pode reaparecer no mesmo local, com os mesmos sintomas.

 

Linfogranuloma Venéreo

É uma infecção crônica causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que atinge os genitais e os gânglios da virilha. Os primeiros sintomas aparecem de 7 a 30 dias após a exposição à bactéria. Primeiro, surge uma ferida ou caroço muito pequeno na pele dos locais que estiveram em contato com essa bactéria que dura, em média, de três a cinco dias. Entre duas a seis semanas após a ferida, surge um inchaço doloroso dos gânglios da virilha. Se esse inchaço não for tratado rápido, pode piorar e formar feridas com saída de secreção purulenta, além de deformidade local. Podem haver, também, sintomas gerais como dor nas articulações, febre e mal estar.

 

Quais as consequências das DST?

Quando não tratadas adequadamente, as DST podem causar sérias complicações, além do risco de pegar outras DST. Essas complicações podem ser:

  • Esterilidade no homem e na mulher;
  • Inflamação nos órgãos genitais do homem;
  • Inflamação no útero, nas trompas e ovários da mulher;
  • Mais chances de ter câncer no colo do útero e no pênis.
 

Tratamento

Especifico para cada doença após diagnóstico clínico e/ou laboratorial correto.

 

Prevenção

Usar preservativos em todas as relações sexuais (oral, anal e vaginal) é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão das DST.